//Paletes para piscinas
  • Tarimas para piscinas

Paletes para piscinas

Vestir o contorno de uma piscina com madeira é uma solução prática e muito decorativa que se funde com a paisagem. A oferta é cada vez maior e mais ampla a cada dia que passa.

A madeira é um dos materiais mais adequados para qualquer aplicação numa casa de campo pelas suas muitas vantagens. No exterior harmoniza-se com o ambiente natural, oferece um contacto agradável e proporciona a resistência necessária, razão pela qual foi imposta a outros materiais para pavimentar o espaço que rodeia as piscinas.

Antes de comprar uma plataforma é aconselhável conhecer a origem da madeira e solicitar os certificados correspondentes para evitar a aquisição de madeira de espécies protegidas ou resultantes de abate ilegal e importações.

As madeiras mais comuns e acessíveis a serem colocadas à volta da piscina são as coníferas, como o pinho e o abeto. Eles são instalados após um tratamento chamado autoclave para garantir a proteção contra os diversos agentes atmosféricos e o ataque de fungos e insetos xilófagos.

Em tempos recentes, madeiras tropicais como a teca, jatobá, irocco e especialmente o ipé ou lapacho ganharam terreno sobre outras madeiras devido à sua dureza e baixa necessidade de manutenção. Na minha opinião, as madeiras tropicais são pura comercialização, é verdade que são madeiras de qualidade, mas o seu preço está sobrevalorizado devido à procura, à taxa de câmbio e aos intermediários.

Não é necessário ir tão longe, no mercado nacional pode-se obter a robinia ou falsa acácia, uma leguminosa da América, cultivada na Espanha desde o século XVII, é considerada 60% mais dura que a teca e, como as madeiras tropicais, não necessita de tratamentos preventivos com agentes químicos, pois, naturalmente, é resistente ao ataque de fungos, insetos xilófagos e cupins.

Descrições de paletes:

Teca: Importada da África, América Central e Sudeste Asiático, madeira de fibras retas, apresenta tons cinza, amarelo e marrom. Pouca manutenção.
Pinho: Originário do norte da Ásia e Europa, especialmente da Suécia, a madeira amarela pálida, fibra reta e grão médio a fino, requer secagem e tratamento em autoclave, pouca durabilidade, manutenção periódica.
Ipe: Também chamado Lapacho, eles vêm da América Central e do Sul. Os depósitos de lapachol forçam o uso de tapaporos antes do envernizamento. Pouco movimento de expansão e contracção, resistente a fungos e insectos.
Iroco: Madeira importada da África, fibra entrelaçada, cor entre marrom amarelado e marrom escuro, seus depósitos de calcário podem causar alergia em algumas pessoas, seu manuseio requer máscara tipo FFP2. Resistente às intempéries.
Robinia ou falsa acácia: Nativa da América do Norte, com o tempo o seu tom claro natural escurece gradualmente. Madeira muito dura, regenera facilmente, resiste às intempéries e ataca fungos e insectos xilófagos. Existente no mercado nacional.

pavimentaçãoInstalação:
É aconselhável instalar a plataforma da piscina num pavimento com um pequeno declive, para permitir a drenagem da água, colocar uma folha de plástico com cerca de 5 ou 10 cm de camada de cascalho ou areia para isolar a madeira do contacto directo com a humidade do solo.

As vigas, travessas, postes ou ripas são então colocadas, e finalmente a plataforma. É aconselhável utilizar parafusos em vez de pregos ou sistemas de fixação ocultos em aço inoxidável. As lâminas podem ser unidas com juntas de neoprene, embora cada vez mais lâminas de língua e ranhura estejam sendo usadas.

Manutenção
Para manter o bom aspecto da madeira no exterior, recomenda-se a utilização de óleos de madeira de poros abertos (nunca vernizes) com a frequência exigida pelas condições de utilização e pelo clima. Estes óleos incluem insecticidas e fungicidas e são extremamente repelentes à água para repelir a água, aceite estas dicas para o cuidado da madeira.

Também é aconselhável reparar áreas que tenham um grande impacto no risco de estilhaçamento.

2019-02-13T09:02:17+00:00Fevereiro 13th, 2019|0 Comments

Leave A Comment